Trocar óleo do motor de acordo com tempo ou quilometragem

Publicado em 1 novembro, 2014 / Atualizado em 27 de setembro de 2015

Para evitar danos ao motor, tanto a quilometragem quanto o tempo devem ser observados

Visto por muitos proprietários de veículos como algo que não merece muita atenção, a troca de óleo é uma atividade muito importante para manter o motor funcionando corretamente e evitar o desgaste prematuro dos seus componentes internos.

Como todos os demais componentes de um veículo, mais especificamente de um carro, o óleo lubrificante não tem vida útil infinita, chegará o momento no qual será necessário substituí-lo.

A principal função do óleo lubrificante é diminuir o atrito entre as partes móveis do motor como o eixo virabrequim (girabrequim), engrenagens, pistões, bielas, bronzinas, bomba de óleo etc. Sem ele, essas peças funcionariam “raspando” uma nas outras, o que ocasionaria um enorme desgaste, que levaria à diminuição da vida útil do motor, folga interna, ruídos até quebra de alguns componentes.

Como o óleo lubrificante forma uma película entre as partes móveis internas do motor, o atrito é muito diminuído, o que permite que o veículo possa rodar por muitos quilômetros praticamente sem causar nenhum desgaste no motor.

Por esse motivo, a troca de óleo no momento certo é fundamental para manter o motor funcionando bem e evitar gastos desnecessários com a reparação do mesmo caso sofra problemas devido à falta de lubrificação adequada.

Trocar o óleo na data ou na quilometragem?

Muitas pessoas responderiam a essa pergunta com um “na quilometragem”. Elas não estariam erradas, mas também não estariam completamente certas. Isso porque o óleo lubrificante tem sua vida útil medida tanto com a quilometragem percorrida pelo carro quanto pelo tempo de uso.

Quando o óleo permanece no motor por muito tempo ocorre a oxidação do mesmo, o que compromete seu poder de lubrificação e pode acarretar sérios problemas ao motor, como falha na lubrificação e formação de borras que dificultarão que a bomba de óleo bombeie o óleo pelos dutos do bloco do motor.

Depois de vários quilômetros rodados, o contato do óleo lubrificante com o combustível, água e possível impurezas vindo do filtro de ar, fazem com que óleo também perca parte do seu poder de lubrificação, o que é perigoso para o motor.

[related_posts]

O momento certo de trocar o óleo

Durante a utilização do veículo, o óleo lubrificante sofre contaminação e deterioração natural devido ao funcionamento do motor. No entanto, alguns fatores contribuem para que a troca seja feita com menos quilometragem ou tempo. Podemos citar:

  • Utilizar combustível adulterado
  • Percorrer sempre trajetos curtos, impossibilitando que o motor atinja a temperatura de funcionamento ideal
  • Não trocar o filtro sempre a cada troca de óleo
  • Pegar diariamente engarrafamentos e situações semelhantes
  • Dirigir com frequência em baixa velocidade, baixa rotação
  • Usar óleo mineral em vez de sintético. Não que o óleo mineral não seja recomendado, mas o óleo sintético possui maior estabilidade e forma menos borra
  • Filtro de ar estragado ou ausente

Em situações como as mostradas acima, é recomendável que o óleo mineral seja trocado aos 5 mil quilômetros, já o sintético poderia ser trocado aos 10 mil quilômetros. Em situações contrárias o mineral poderia ser trocado aos 7 mil quilômetros, enquanto que o sintético poderia ser substituído aos 15 mil quilômetros.

Em todos os casos, caso a quilometragem de troca não tenha sido alcançada, o tempo para troca do óleo pode variar de 6 a 12 meses, para evitar que ele fique velho. Contudo, para garantir sempre uma boa lubrificação, é recomendável que a troca seja feita sempre a cada seis meses, mesmo que a quilometragem máxima não tenha sido atingida.

Essas são recomendações aplicáveis a qualquer veículo de passeio. Porém, é sempre bom consultar o manual do veículo para conferir quais são os prazos recomendados pelo fabricante do veículo.