Uso de Smartphone à prova d’água requer cuidados

Publicado em 6 novembro, 2015 / Atualizado em 6 de novembro de 2015

Apesar de possuírem proteção contra a água, os smartphones à prova d'água não estão totalmente protegidos

A água traz inúmeros problemas quando entra em contato com qualquer dispositivo eletrônico, o que não poderia ser diferentes com os telefones celulares e smartphones. Por esse motivo, é muito importante o cuidado no manuseio desses aparelhos.

Devido aos inúmeros acidentes que já ocorreram e ocorrem atualmente, a indústria que desenvolve tecnologias aplicadas aos smartphones está apostando cada vez mais em aparelhos resistentes à água, e diversos modelos já foram disponibilizados ao mercado pelos fabricantes.

Apesar de ser um avanço na segurança dos aparelhos, os sistemas que oferecem resistência à água ainda não tornaram os aparelhos completamente insuscetíveis aos danos causados pelo contato de seus componentes internos com a água.

COMO FUNCIONA A PROTEÇÃO À ÁGUA

O usuário não deve confundir a resistência à água com um aparelho feito para ser operado debaixo d’água. De maneira geral, essa resistência à água tem como objetivo proteger o aparelho em caso de acidentes e na utilização em condições leves de exposição à água, a depender do nível de proteção do aparelho.

Ou seja, os smartphones a prova d’água não são equipamentos subaquáticos, apesar de poderem ser operados quando submersos, a depender da profundidade e do nível de proteção aplicado em cada aparelho, seu uso requer cuidados.

A classificação do nível de proteção aplicado ao aparelho é feita através de uma escala chama de IP (Ingress Protection), ou proteção contra entrada, em português, publicada pela International Electrotechnical Commission (IEC). A classificação IP é um padrão internacional para medir os níveis de resistência de um dispositivo à poeira e água. Essa escala possui dois números, sendo o primeiro referente à proteção contra sólidos (poeira) e o segundo contra líquidos. O nível mais alto de proteção é IP 68, sendo que na primeira posição a escala vai de 0 a 6 e na segunda de 0 a 8.

Confira abaixo uma tabela contendo a classificação e o nível de proteção aplicado.

IP00 –  Não possui nenhum tipo de proteção especial.
IP01 –  Possui proteção contra gotejamento vertical de água e condensação.
IP02 – Proteção contra gotejamento quando inclinado até 15 graus de sua posição normal.
IP03 – Proteção contra pulverização de água quando inclinado até 60 graus.
IP04 – Proteção contra salpicos ou espirros d’água vindos de qualquer direção.
IP05 – Proteção contra jatos de baixa pressão de água por até 3 minutos.
IP06 – Proteção contra pulverização e jatos fortes de água por até três minutos.
IP07 – Proteção em submersão temporária em até 1 metro (o tempo de submersão pode variar conforme o fabricante).
IP08 – Proteção em submersão em profundidades superiores a 1 metro. O tempo de submersão e demais características podem variar de acordo com o fabricante.

Não corra riscos

Como podemos perceber, os aparelhos classificados como IP07 e IP08 são os únicos que suportam submersão. No entanto, isso deve ser feito com cuidado e a depender do aparelho nem todas as funções ou botões poderão ser acionados debaixo d’água. Nesses casos é recomendável consultar o manual de instruções do aparelho.

Nos demais casos, onde há proteção parcial, é importante o bom senso por parte do proprietário do smartphone. De maneira geral, tomar chuva, manipular o aparelho com as mãos molhadas ou enquanto lava o carro, pode não ser perigoso, a depender da classificação de cada aparelho.