Quando pegar empréstimo para pagar dívidas

Publicado em 1 fevereiro, 2016

Em algumas situações vale a pena pegar um empréstimo para quitar dívidas

Problemas financeiros podem afetar praticamente qualquer pessoa ou família, e até mesmo quem faz e segue rigorosamente planejamentos financeiros podem sofrer com eles, uma vez que a qualquer momento imprevistos podem surgir.

Em situações de pouco dinheiro e muitas contas a pagar, o ideal é priorizar as que serão pagas primeiro, e em um segundo momento estudar maneiras de pagar as demais, seja para não ter o nome negativo seja para não ter serviços suspensos.

De maneira geral os juros cobrados por atraso no pagamento de algumas contas e principalmente da fatura de cartão de crédito costumam ser muito altos, fazendo a dívida dobrar ou até triplicar de valor em poucos meses.

Por esse motivo, é fundamental não deixar a dívida perdurar por muito tempo, pois chegará o momento em que praticamente será impossível ter em mãos o dinheiro necessário para quitá-la.

Empréstimo para pagar dívida

Se o valor da dívida for alto, talvez juntar uma parte por mês não funcione pois os juros acumulados podem fazer o valor das dívidas andarem a passos mais largos do que o dinheiro economizado mensalmente.

Diante de uma situação como esta, uma solução possível é pegar um empréstimo, com juros menores, e quitar as dívidas que possuem juros mais altos.

À primeira vista pode parecer um absurdo contrair uma dívida para quitar outras, mas essa pode uma solução mais econômica.

[related_posts]

Juros do empréstimo X juros da dívida

Em média, os juros cobrados no rotativo do cartão de crédito pode passar dos 15% ao mês, enquanto os juros cobrados em empréstimos giram em torno dos 5%. Sem contar que servidores públicos, aposentados e pensionistas podem contratar um empréstimo consignado, nos quais a taxa de juros é ainda mais baixa.

Em outras palavras, se você perceber que realmente não vai conseguir pagar a fatura do seu cartão de crédito, ou qualquer outra conta com altos juros, deve ser considerada a contratação de um empréstimo para quitar totalmente a dívida.

Dessa maneira, em vez de pagar os altos juros cobrados pelas administradoras de cartão, por exemplo, paga-se os juros do empréstimo, que de geralmente costumam ser menores. Com isso, gasta-se menos com juros e o valor das parcelas é menor, o que facilita o pagamento.