Pegar empréstimo para pagar cartão de crédito

Publicado em 9 abril, 2013 / Atualizado em 9 de abril de 2013

Por ter taxa de juros menor, pegar empréstimo pode sair mais barato que usar crédito rotativo do cartão

O cartão de crédito surgiu como uma maneira rápida e segura de obter crédito para fazer compras à prazo, parceladas ou não, em diversos tipos de estabelecimentos comerciais, sejam eles lojas que vendem produtos ou empresas prestadoras de serviços.

É inegável que o cartão de crédito é útil para consumidor, principalmente pela falta de burocracia na sua utilização e facilidade de compra, que pode ser feita também pela internet, em lojas virtuais.

Mesmo sendo uma interessante forma de pagamento, a utilização do cartão de crédito exige um controle rigoroso, a fim de evitar que o valor da fatura acabe superando a capacidade de pagamento mensal do consumidor, o que pode levá-lo a uma situação desfavorável economicamente: cair no crédito rotativo.

O crédito rotativo é aquele que refinancia o valor da fatura, jogando o montante a ser pago para o vencimento do próximo mês acrescido de juros e possivelmente multa. A principal questão nestes casos é que a taxa de juros cobrada no rotativo é muito alta, podendo chegar a 18% ao mês dependendo do banco.

[related_posts]

Pegar empréstimo para pagar fatura

Deixar a fatura do cartão cair no rotativo não é uma boa ideia, pois com isso gasta-se demais com o pagamento de juros. Como alternativa à isso, o consumidor pode pegar um empréstimo pessoal, que geralmente possui uma taxa de juros bem menor.

A taxa de juros cobrada pelos bancos para empréstimos pessoais varia de 2% a 8%, a depender do banco e da linha de crédito escolhida. Mesmo sendo alta, ainda é bem menor do que as cobradas pelo crédito rotativo do cartão, que costumam variar entre 14% e 18%.

Portanto, pegar empréstimo para pagar a fatura do cartão é melhor do que deixar para pagar fatura no mês seguinte e acabar tendo que pagar os juros do crédito rotativo.