Peças do sistema de freio dos carros

Publicado em 11 setembro, 2012 / Atualizado em 1 de novembro de 2014

Conheça as peças do sistema de freio e como funcionam

Assim como acontece com o sistema de arrefecimento, o sistema de freio é composto por diversas peças interligadas e interdependentes, ou seja, para que uma funcione corretamente, outras também devem estar funcionando corretamente.

No entanto, ao contrário daquele, o sistema de freio tem como função não proteger o motor do carro, mas sim manter a segurança do motorista e dos demais ocupantes do veículo. Por esse motivo, manter o sistema de freio sempre revisado é de fundamental importância para manter a segurança tanto de quem está dentro do carro quanto para os pedestres e demais motoristas.

O sistema de freio é formado por pinça de freio ou cavelete, disco de freio, tambor, cabo, pastilha, lonas e sapatas, molas, presilhas e regulagens ou reguladores. Saiba mais e tire suas dúvidas sobre cada uma delas:

Pinça de freio

A pinça de freio, também chamada de cavalete de freio, é a peça que acondiciona as pastilhas de freio e são presas na manga de eixo da suspensão.

Ela é composta de duas partes que se encaixam, deixando uma abertura por onde o disco irá passar para entrar em contato com as pastilhas de freio. Ela possue dois pistões que quando acionados pela pressão do sistema de freio pressionam as pastilhas no disco de freio, fazendo o carro frear.

Carro andando na pista
A segurança nas estradas depende também do bom estado das peças do sistema de freio.

Disco de freio

O disco de freio é uma das principais peças do sistema de freio, pois junto com as pastilhas, são efetivamente as peças que fazem o carro parar. Os discos são feitos de aço e são instalados dentro da pinça de freio juntamente com as pastilhas.

Existem dois tipos de discos, os sólidos e os ventilados. Os discos de freio sólidos, como o nome sugere, são sólidos, maciços, sem nenhuma fenda ou abertura para ventilação. Já os ventilados possuem uma abertura lateral responsável por permitir a passagem do ar e assim diminuir a alta temperatura causada pelo atrito com a pastilhas.

Este tipo de disco costuma equipar carros com motores mais potentes. Os carros populares, como motor 1.0, costumam ser equipados com discos sólidos.

[related_posts]

Pastilha de freio

A pastilha entra em contato direto com o disco fazendo o carro perder velocidade até parar. Enquanto o carro está andando, as pastilhas ficam próximas aos discos, porém sem encostar neles. Quando pisamos no pedal de freio, o cilindro mestre pressuriza o sistema e faz com que a pinça pressione a pastilha contra os discos, proporcionando a frenagem do carro.

Algumas pastilhas são equipadas com sensores que indicam quando ela deve ser substituída. A pastilha, na maioria dos modelos, é responsável pelo freio dianteiro. Porém, existem carros que possuem pastilhas, ou melhor, freio a disco nas quatro rodas, normalmente modelos esportivos ou com motorização mais potente.

Tambor de freio

O tambor é componente do sistema de freio traseiro. Em alguns carros mais antigos, tanto a dianteira quanto a traseira possuem tambor de freio, ao contrário do padrão adotado na maioria dos carros de hoje em dia que é o de freio a disco na dianteira e a tambor na traseira. Ao acionar a alavanca de freio de mão, os cilindros de freio se expandem e pressionam a lona ou a sapata contra a parede interna do tambor, fazendo o carro frear.

Os tambores de freio são fabricados com ferro fundido, são maciços, mas possuem certa flexibilidade, que é necessária para adaptar-se as possíveis irregularidades das lonas ou sapatas de freio. Além da função de possibilitar a frenagem, o tambor também é responsável por dissipar o calor gerado pela frenagem.

Cabo de freio

Os cabos de freio tem um funcionamento simples. Eles são usados no freio de mão, também chamado de freio de estacionamento, aquele acionado quando puxamos a alavanca de freio de mão, normalmente localizada entre os bancos dianteiros dos veículos.

Quando puxamos a alavanca de freio, o cabo de freio aciona uma haste que, estando interligado com o cilindro de roda, faz com que esse se expanda e comprima a lona contra a parede do tambor, fazendo o carro parar, ou ficar parado, caso esteja estacionado.

Lonas de freio e sapatas de freio

As lonas e sapatas funcionam de maneira semelhante à pastilha. No caso das pastilhas, elas são pressionadas contra os discos. Já as lonas são pressionadas pelo cilindro de freio contra as paredes do tambor, ocasionando a frenagem. Os carros mais antigos permitiam que a lona fosse substituída da sapata (também chamada de placa de freio).

Já os veículos mais modernos possuem as lonas já coladas às sapatas. Neste caso, se for necessário trocar a lona, o jogo de sapata deverá ser substituído. O ponto negativo nisso é que um jogo de sapata de freio costuma ser bem mais caro que um jogo de lona.

Outras peças

Válvula equalizadora: tem como função estabilizar a pressão que é enviada para as rodas. Seu objetivo é evitar que, devido a muita pressão, as rodas traseiras travem e façam o veículo perder o controle.

Cilindro mestre ou bomba de freio: sua função é fornecer o fluído de freio ao sistema. Ela é responsável por pressurizar o sistema hidráulico através do “bombeamento” do fluído de freio às demais peças do sistema.

Hidrovácuo ou servo freio: é responsável por diminuir o esforço físico do motorista ao pisar no pedal de freio. Em outras palavras, ele amplia a força aplicada nos pedais, para facilitar a frenagem do veículo.

Molas e reguladores: servem para manter a distância adequada da sapata em relação ao tambor. Nos carros mais antigos, a regulagem do freio era manual. Nos veículos modernos a regulagem é automática, ou seja, à medida que a lona se desgasta, a sapata vai se aproximando automaticamente da parede do tambor.

Mangueiras de freio: tem como função conduzir o fluído de freio da tubulação até os cilindros de roda e a pinça.