Manutenção preventiva e corretiva, diferenças

Publicado em 8 dezembro, 2012 / Atualizado em 12 de setembro de 2013

Entenda a diferença entre manutenção preventiva e manutenção corretiva

Mesmo quem não possui um veículo, frequentemente houve falar em revisão e manutenção. A manutenção é algo presente não apenas em carros, motos ou caminhões, apesar de ser mais comentada no setor automotivo.

Máquinas e equipamentos também devem passar por revisões e manutenção de tempos em tempos para garantir seu pleno funcionamento e evitar que problemas mais graves ocorram, chegando a comprometer outras peças e aumentando o prejuízo.

Existem dois tipos de manutenção, a manutenção preventiva e a manutenção corretiva. Cada uma delas tem seu momento certo para ser feita. No entanto, em alguns casos, a manutenção preventiva é mais recomendada, pois evita que danos maiores sejam causados ao veículo, máquina ou equipamento. Quando não é possível evitar um dano, a manutenção corretiva deve ser feita. Confira uma explicação abaixo:

Manutenção preventiva

Essa revisão é aquela que tem como objetivo evitar que danos maiores seja causados.

Por exemplo: trocar o óleo do motor do carro é uma manutenção preventiva, pois não fazer a troca pode resultar em problemas sérios no motor. Se a troca do óleo não for feita, pode acontecer de o motor do carro “bater” ou fundir, passando a exigir uma manutenção corretiva.

Como o próprio nome sugere, a manutenção preventiva serve para previnir, previnir problemas mais sérios, mais difíceis e caros de resolver. Geralmente este tipo de manutenção é bem mais barata que a manutenção corretiva.

Manutenção corretiva

A corretiva é aquela manutenção que objetiva fazer uma correção, consertar algo que quebrou ou que não está funcionando corretamente. Usando novamente o exemplo dado anteriormente, se um veículo não trocar o óleo do motor na quilometragem recomendada e continuar rodando por muitos quilômetros, seu motor poderá “bater” por falta de lubrificação.

Se isso acontecer, o motor deverá ser aberto para fazer retífica e peças internas deverão ser trocadas, resultando num gasto muito mais alto do que aquele que seria feito na manutenção preventiva.

Neste caso, se a manutenção preventiva (prevenção) tivesse sido feita, não seria necessário fazer a manutenção corretiva (correção), e o gasto seria bem mais baixo.