Grau térmico de vela para motor a gasolina, álcool e flex

Publicado em 12 junho, 2016

Saiba mais sobre grau térmico das velas de ignição e sua adequação a motores a gasolina, etanol ou flex

Com a oscilação nos preços dos combustíveis, a maioria dos novos veículos fabricados no Brasil saem de fábrica com motores flex, capazes de rodar com álcool ou etanol e gasolina ao mesmo, geralmente tendo a quantidade de um outro combustível definida pelo proprietário do veículo.

Antes disso, os veículos eram fabricados para funcionarem com gasolina ou álcool, separadamente, uma vez que a depender do combustível, diversos componentes internos do motor deveriam ser específicos para ele, principalmente no que se refere ao sistema de alimentação.

Dentre esses diversos componentes cujas especificações variam conforme o combustível, a vela de ignição ocupa uma posição de destaque, principalmente pelo fato de ela ter contato direto com o combustível.

Muitas pessoas não sabem, mas é a vela de ignição que faz a explosão acontecer dentro da câmara de combustão dos motores. Ela é responsável por gerar a faísca elétrica que incendeia o combustível dentro do motor e faz o veículo andar.

Diante disso, é de fundamental importância utilizar a vela correta para cada veículo, ano, motor e principalmente combustível, para que tanto o desempenho do veículo quanto o consumo fiquem dentro dos valores esperados. Por esse motivo, é muito importante evitar a instalação de velas fabricadas para um determinado combustível em veículos que utilizam combustível diferente, seja álcool, gasolina e flex.

Vela de ignição
Apesa serem muito semelhantes externamente, as velas possuem configurações internas que as tornam específicas para cada tipo de veículo.

O diferencia as velas para gasolina, flex e álcool

O que determina, de maneira geral, a adequação de uma vela de ignição a um combustível ou outro é seu grau térmico.

Vela para veículos a álcool (etanol)

Para motores movidos a etanol ou álcool, a vela adequada é a que possui um grau térmico maior. Velas que possuem grau térmico mais elevado são chamadas de velas frias, ou seja, sua dissipação de calor é maior se comparada com velas para veículos a gasolina, que são velas do tipo quente.

Nos motores a álcool a vela de ignição ideal é do tipo fria devido ao fato de os motores movidos a etanol possuírem uma taxa de compressão superior em comparação aos motores a gasolina, e por esse motivo geram mais calor, o que resulta na necessidade de utilizar uma vela que tenha a capacidade de dissipar mais rapidamente o calor, evitando assim danos ao motor.

Vela para veículos a gasolina

Os motores movidos a gasolina de maneira geral possuem uma taxa de compressão menor em situações semelhantes de trabalho e construção. O fato de possuírem uma taxa de compressão menor em comparação com os movidos a álcool faz com que seja mais adequada a utilização de uma vela mais quente, com grau térmico menor.

O principal objetivo em utilizar uma vela quente, ou seja, com grau térmico menor, é promover adequadamente a queima do combustível, elevando a temperatura do motor ao nível ideal, evitando assim o surgimento de um fenômeno chamado de carbonização.

A carbonização ocorre quando o combustível não é queimado corretamente dentro da câmara de combustão, o que resulta no acumulo de carvão na parte da vela responsável por emitir a faísca que causará a explosão do combustível. Esse acúmulo de carvão causa a queima ineficiente do combustível, resultando em ainda mais carvão acumulado e falhas no funcionamento do motor.

Velas para veículos Flex

Os veículos bi-combustíveis ou flex, que rodam tanto com gasolina quanto com álcool, geralmente possuem vela com grau térmico mais elevado em comparação com os veículos a gasolina, ou seja, são velas mais frias. No entanto, por se tratar uma tecnologia específica, não se deve levar em consideração apenas o grau térmico da vela a ser instalada no motor, mas sim o tipo de vela recomendada pelo fabricante do veículo.

Qual vela é melhor, quente ou fria?

Não é possível determinar se uma vela fria é melhor do que uma quente ou vice-versa, tudo vai depender do motor no qual a mesma será instalada.

Por esse motivo, o ideal é instalar a vela de acordo com a recomendação do fabricante do veículo ou do fabricante da vela, uma vez que cada vela leva em consideração não apenas o tipo de combustível a ser utilizado, mas também a taxa de compressão do motor e outras características que muitas vezes são peculiares a cada modelo de veículo ou de motor.