Diferença entre SPC e SERASA

Publicado em

SPC e Serasa são empresas de análise e informação de crédito

Os bancos, financeiras e demais instituições que compõe o mercado financeiro, antes de conceder empréstimo, financiamentos, oferecer cartão de crédito e outras modalidades de crédito, consultam o CPF do cliente para verificar se ele possui restrições, se seu nome foi negativo junto às principais instituições de análise de crédito e informações sobre devedores, o SPC e o Serasa.

Tanto uma quanto a outra são utilizadas por bancos, financeiras, indústrias, lojas de comércio varejista, atacadista etc. Praticamente em toda negociação onde uma das partes concede crédito, seja empréstimo em dinheiro ou mesmo para a compra de mercadoria, seja na promissória, cheque ou duplicata bancária, por exemplo, é feita a consulta a um desses órgãos.

O objetivo da consulta é evitar que a empresa acabe concedendo crédito a um mal cliente, com histórico de inadimplência ou de atrasos nos pagamentos. Com ela, as empresas tem mais segurança, pois poderão conceder crédito apenas a clientes físicos ou jurídicos que não tenham seu nome incluído na lista de mal pagadores, o que diminui o risco de não pagamento.

É comum ouvirmos a expressão “Quem não paga as contas em dia fica com o nome sujo no SPC e Serasa”. Mas afinal, o diferencia o SPC do Serasa, eles tem a mesma função ou são diferentes? Confira abaixo a explicação sobre essas duas importantes ferramentas de análise de crédito.

Diferença entre SPC e Serasa

Serasa

É uma das principais instituições que são consultadas para a aprovação ou não de concessão de crédito é a Serasa. A Serasa atua em todo o Brasil e alguns outros países, e oferece um importante papel para a tomada de decisão na concessão de crédito, tanto para pessoas físicas quanto jurídicas. A partir das informações cadastrais dos clientes fornecidas pela Serasa, instituições financeiras, bancos e lojas do comércio podem decidir se concedem crédito ou não, e se forem conceder, de acordo com o histórico de transações do consumir um limite de crédito poderá ser estabelecido.

A Serasa foi criada a partir de uma iniciativa da FEBRABAN, com o objetivo de unificar e criar uma ficha cadastral de clientes única e padronizada para todos os bancos. Dessa maneira, todos os bancos teriam acesso a informações específicas sobre clientes de outros bancos. Com o passar do tempo, a atuação do Serasa foi se expandindo e a partir da década de 90 começou a prestar serviço também para empresas privadas e de qualquer porte. Dessa maneira, as informações cadastrais dos cliente passaram a ser acessíveis a todas as empresas associadas, sejam elas banco, supermercado, lojas, etc.

SPC

O Serviço de Proteção ao Crédito teve seu início na cidade de São Paulo quando, então, foi solicitado que a associação comercial centralizasse informações sobre os clientes das empresas para facilitar a consulta às suas informações como compradores.

De lá para cá, o SPC evolui e hoje é abastecido com informação  de CDLs (Câmara de Dirigentes lojistas) e associações comerciais de praticamente todas as cidades do Brasil. Com isso, a rede de informações  RENIC (Rede Nacional de Informações Comerciais) torna mais completa e ágil essa consulta, possibilitando que informações comerciais de clientes de qualquer estado possam ser acessadas pelas empresas conveniadas.

Conclusão

Tanto o SPC quanto o Serasa prestam serviços de análise e informação de crédito, cujo objetivo é identificar bons pagadores e maus pagadores. A diferença é que o Serasa teve início com a união dos bancos, enquanto que o SPC foi iniciado com a união de associações comerciais e CDLs. Vale lembrar que em geral o cadastro do devedor é feito em abas as instituições.