Diferença entre penhor e penhora

Publicado em 18 agosto, 2012 / Atualizado em 18 de agosto de 2012

Penhor e penhora: um é ato judicial e o outro é uma forma de empréstimo

Existem palavras que são bastante parecidas e que acabam se tornando sinônimos. Quando essa semelhança, na escrita ou na pronúncia, condiz com a realidade, ou seja, além de serem escritas e faladas de forma semelhante também se referem a algo semelhante, ou até mesmo à mesma coisa, não há problema.

O que não pode ocorrer é confundir palavras semelhantes e que se referem a situações distintas, como é o caso das palavras penhor e penhora. Apesar de serem bastante semelhantes, essas duas palavras não podem ser utilizadas como sinônimo uma da outra. Na realidade, a depender da situação, uma é sucedida pela outra, como no caso de uma ação judicial, por exemplo. Confira abaixo as diferenças entre penhor e penhora.

Penhor

É uma forma de empréstimo onde o devedor dá algum tipo de bem (Joias, pedras preciosas, metais nobres etc.) como garantia em troca de dinheiro, e ao quitar totalmente este empréstimo ele tem o bem dado como garantia devolvido. Este tipo de empréstimo é bastante comum e vantajoso para quem precisa de dinheiro porque os juros são mais baixos e não apresenta muita burocracia, já que o banco credor está em posse do bem dado como garantia. Bem esse que será leiloado caso o devedor não pague o empréstimo. Saiba mais sobre: penhor.

Penhora

É a ação executória de um ato judicial expedido por um juiz e promovida por um oficial de justiça. Nela, os bens do devedor são apreendidos e levados a leilão para que sua dívida seja paga. Por exemplo: se um determinado bem for dado como garantia num penhor, e o tomador do empréstimo não faça a quitação deste, o bem irá a penhora e será vendido para que a dívida seja paga.

Contudo, a penhora nem sempre é sucessora do penhor. Por exemplo, em algumas ações trabalhistas em que a empresa não pague o que é devido aos seus funcionários. Nestes casos, a justiça pode autorizar a penhora de bens da empresa para que com o dinheiro arrecadado seja feito o pagamento aos funcionários.