Dicas para não gastar demais com cartão de crédito

Publicado em 12 setembro, 2012 / Atualizado em 20 de março de 2014

Ter vários cartões ou comprar por impulso pode comprometer o orçamento doméstico ou pessoal

Como falamos no post sobre como fazer cartão de crédito pela internet, os cartões de crédito estão cada vez mais presentes na vida da população, principalmente pela facilidade de compra que eles proporcionam.

Ou seja, com o cartão, não precisa ter dinheiro na mão muito menos na hora da compra é exigida algum tipo de consulta, como ao SERASA, por exemplo. Basta ter limite disponível, ir até a loja e comprar aquilo que deseja.

No entanto, apesar de trazer benefícios para o consumidor, o cartão de crédito pode levá-lo a uma situação difícil, sobretudo para aqueles que não se controlam nos gastos, que compram por impulso. Isso acontece devido a sensação de poder que o cartão oferece.

Se ao passar por uma vitrine, uma pessoa ver algo lhe interesse e no momento ela não tem dinheiro, aquele desejo de comprar é anulado, ou a pessoa deixa para comprar depois. Se nesse mesmo momento ela tem em mãos um cartão de crédito, são muito grandes as chances de ela fazer a compra assim que se deparar com o produto.

Além disso, outra característica dos cartões que fazem as pessoas se descontrolarem nos gastos são as compras parceladas. As parcelas do cartão fazem o consumidor ter a falsa impressão de que o produto é barato, ou que sua compra não comprometerá o orçamento.

Por exemplo: uma televisão de R$ 1.500,00. Se for para ser comprada à vista, muitas pessoas teriam que juntar dinheiro por algum tempo, e até poderiam pensar “Nossa, que TV cara”. Já se elas possuíssem um cartão de crédito, poderiam comprá-la em até 10 vezes sem juros de R$ 150,00, e possivelmente pensariam “Nossa, que TV barata, custa apenas R$ 150,00 por mês”.

O que normalmente endivida as pessoas são as compras parceladas, pois a parcela de uma compra parcelada é somada com as parcelas das demais compras parceladas, transformando a dívida do cartão numa bola de neve.

Quando se tem que administrar dois cartões de crédito a coisa fica ainda mais complicada. Isso porque, de maneira geral, quando se vai fazer uma compra, só é calculado o total gasto no cartão que vai ser usado, sem levar em consideração a fatura do outro cartão. É nesse momento que muitos consumidores tomam sustos, quando pagam uma fatura alta e se deparam com outra tão cara quanto ou ainda mais cara.

Para administrar seja um cartão, dois, três ou mais, o interessante é fazer um planejamento e controle de gastos.

Como se controlar e não gastar demais com os cartões:

Só ande com o cartão na carteira ou bolsa quando for fazer uma compra planejada. Dessa maneira você estará livre da famosa compra por impulso.

Tenha limite. Estabeleça o quanto pode gastar por mês com o cartão, e não ultrapasse esse valor estabelecido.

Anote os gastos. Registre todos os gastos feitos no cartão, inclusive fazendo o lançamento das parcelas para os meses futuros. para isso, use nossa planilha de controle de gastos.

Deixe uma margem para eventualidades. Quando estabelecer uma meta de gastos, deixe uma “folga” para os casos de gastos inesperados. Essa dica é importante para não acabar ficando no vermelho por causa de um gasto não previsto.

Se for possível, evite dividir as compras em muitas vezes. Lembre-se que as parcelas se somam nos meses seguintes e, quando somadas ao orçamento planejado para os meses futuros, pode extrapolar o limite gastos estabelecido.

Não é absolutamente necessário, deixe para depois. Não caia na tentação de ter coisas que na verdade não são necessários no momento. Por exemplo: muitas pessoas ficam loucas para comprar um novo modelo de celular, que faz praticamente tudo que seu aparelho atual faz, apenas para ser uma novidade, algo da moda.

Use a razão, e não a emoção ou vaidade. Não é inteligente comprar algo supérfluo por que uma amiga ou um amigo comprou, por que um artista da TV disse que é melhor que os outros etc. Antes de comprar, pare e pense: “eu realmente preciso disso?”,  “Eu realmente preciso disso agora?”, “Se eu comprar eu vou conseguir pagar?”. Desta maneira será possível se livrar da ansiedade de compra e pôr os pés no chão.

Compre como antigamente. Há alguns anos, era necessário primeiro ganhar o dinheiro para depois gastá-lo. Com o cartão isso se inverteu. Hoje compramos primeiro, para em seguida ganhar o dinheiro e consequentemente pagar as compras. Claro que também existem as vendas por crediário, mas estas são menores do que as feitas no cartão.

Somente um cartão. Se não há grande necessidade de mais de um cartão, tenha apenas um. Normalmente, quando se tem apenas um cartão e seu limite já está estourado, o consumidor simplesmente pára de comprar e espera o limite ser restabelecido após o pagamento da fatura. Somente após isso novas compras são feitas. Já quem possui dois cartões ou mais, quando um deles está sem limite, o outro é usado para fazer compras, e isso pode fazer os gastos passarem do limite.