Dicas para abrir uma autopeças com pouco dinheiro

Publicado em 19 setembro, 2016

Apesar de normalmente exigir um alto investimento, é possível montar uma pequena autopeças com pouco dinheiro

Ter o próprio negócio é o sonho de muitos brasileiros que buscam não apenas melhorar a sua renda, mas também trabalhar com aquilo que se gosta ou mesmo não ter alguém para lhe dar ordens, ou seja não ter patrão.

Abrir uma autopeças, ou seja, uma loja de peça para carros ou até mesmo para outros veículos, como caminhões ou motos, exige além capital e força de vontade, planejamento e principalmente conhecimento sobre este tipo de negócio.

De maneira geral, é difícil uma pessoa que nunca lidou com autopeças conseguir obter sucesso ao se aventurar neste ramo de negócio, sobretudo se deseja atuar em um mercado onde já atuem outras empresas já consolidadas.

Em todo caso, se seu sonho é montar uma autopeças para automóveis, confira abaixo dicas que o ajudarão não apenas a decidir se é isso mesmo ou não que você deseja, mas também ajudá-lo no planejamento caso esteja certo que deseja ter sua própria loja de peças para veículos.

COMO MONTAR UMA AUTOPEÇAS

Localização

Em geral as lojas de autopeças, chamadas em algumas regiões de casa de peças, ficam próximas umas das outras e também próximas das oficinas mecânicas. Se seu novo negócio irá contar também com uma oficina mecânica, será possível se afastar um pouco das demais lojas e oficinas.

No entanto, se você deseja montar apenas a autopeças, é muito recomendável que ela esteja localizada próxima às oficinas mecânicas. Isso facilita as idas e vindas ao buscar ou trocar peças.

Estrutura física e equipamentos

Um dos principais móveis em um autopeças é o balcão. O balcão deve ser grande o suficiente não apenas para atender os clientes, mas também para posicionar expositores de produtos de grande rotatividade. É possível comprar balcões usados, mesmo que tenham sido utilizados em outros negócios.

O ideal é dar preferência a balcões com vitrines na parte de baixo, as quais já podem ser utilizadas para expor os produtos mais vendidos, exclusivos ou em oferta. O balcão pode ser de madeira ou de aço.

Além do balcão, é necessário calcular de acordo com o espaço disponível a quantidade de estantes e prateleiras, que acondicionarão os produtos, cestas plásticas e metálicas para peças pequenas, suportes para peças grandes, móveis para o escritório e para o caixa; computadores que ficarão com os vendedores no balcão, além dos que ficarão no escritório, impressoras de cupom fiscal, leitores de código de barras; bancos nos balcões para os clientes em atendimento também é interessante.

As estantes também podem ser usadas, e não é difícil encontrá-las à venda. Os computadores não precisam ser top de linha, tendo em vista que os programas de automação comercial não costumam exigir computadores super potentes e modernos.

Se a loja for conter uma oficina própria, é necessário ter uma sala de espera para que os clientes fiquem aguardando enquanto o seu veículo é reparado. É importante que nessa sala tenha banheiro, sofás e bebedouro. Algum tipo de entretenimento é interessante, como revistas e aparelhos de TV, por exemplo. Nesse caso, o investimento se torna bastante alto, haja vista que equipar uma oficina com todos os equipamentos e máquinas exige muito dinheiro.

Veículos no trânsito
Com a grande quantidade de carros circulando nas ruas, abrir uma autopeças pode uma boa oportunidade de negócio.

Equipe de trabalho

A quantidade de pessoas necessárias para fazer a autopeças funcionar vai variar de acordo com o tamanho da mesma. No entanto, é preferível que ter no mínimo três funcionários, um no caixa e dois no balcão. Neste caso, tarefas rotineiras como limpeza da loja deverão ser compartilhadas entre todos.

Qual tipo de peça vender

Um carro tem muitas peças, que podem ser subdivididas em peças de motor, peças elétricas, peças de suspensão, peças de direção, peças do sistema de arrefecimento, peças de acabamentos, peças do sistema de ignição, peças eletrônicas, acessórios, escapamento, bateria, vidros etc.

Se o capital disponível para iniciar a loja for pequeno, o ideal é focar em alguns desses grupos e deixar os demais para depois. Essa decisão vai ser levada em conta de acordo com a experiência e o conhecimento de cada um sobre o setor.

No entanto é sabido que algumas peças tem mais rotatividade que outras. Se o dinheiro disponível para a compra das mercadorias for pouco, uma saída é focar inicialmente em produtos mais consumidos, como os que são substituídos em revisões, por exemplo:

Filtros: de ar, óleo, combustível e ar condicionado.

Lubrificantes: óleo para motor, câmbio e direção hidráulica, além de aditivos para radiador e fluido de freio.

Peças de suspensão: buchas de bandeja, pivôs, amortecedores, coxins, calços, bandejas, coifas, batentes etc.

Peças de direção: terminais de direção, coifas, terminais axiais, hastes etc.

Peças do motor: bomba d’água, correia dentada, tensores, juntas etc.

Peças de freio: disco de freio, tambor de freio, mangueiras, pastilhas de freio, lonas e sapatas de freio etc.

Peças do sistema de ignição: cabos de velas, velas de ignição e bobinas, por exemplo.

Outros produtos e peças: palhetas de limpador, anti-ferrugem, colas etc., são exemplos de produtos que tem boa saída.

Peças que exigem mais recursos financeiros

Trabalhar com vidros, como para-brisa, e outros componentes como pneus e escapamentos, de maneira geral necessitam mais investimento, pois além de serem unitariamente mais caros, sua movimentação e armazenagem exigem espaço físico maior e muitas vezes equipamentos específicos. Peças do motor também costumam ser caras, a exemplo da bomba de óleo, pistões, anéis de segmento, eixos e bielas, e peças do sistema de injeção eletrônica.

Conclusão

Assim como acontece com qualquer tipo de negócio, abrir uma autopeças exige estudo e planejamento, a fim de evitar que dificuldade previsíveis possam colocar em risco a sobrevivência do novo negócio, além de possibilitar que as oportunidades do mercado sejam melhor aproveitadas.