Dicas de manutenção para motoristas iniciantes

Publicado em 22 setembro, 2016

Conheça algumas dicas de manutenção preventiva para evitar que problemas maiores afetem seu veículo

Para os motoristas iniciantes, comprar seu primeiro carro significa muitas vezes uma grande realização pessoal, a realização de um sonho. Mas além disso, possuir, e principalmente dirigir um veículo, exige uma postura responsável não apenas com o trânsito, mas também com o próprio veículo.

Quando se fala em manutenção de veículos, seja ele carro, automóvel ou qualquer outro, temos dois tipos de manutenção, a corretiva e a preventiva. A manutenção corretiva é aquela que tem como objetivo corrigir problemas e defeitos e fazer reparos nos veículos.

Já a manutenção preventiva, como o nome sugere, tem como objetivo prevenir que algo aconteça, que algum tipo de dano seja causado ao veículo. Normalmente é um reparo de baixo custo, que pode evitar ou adiar outro muito maior.

Em muitos casos a manutenção preventiva realmente contribui muito para evitar que um problema maior aconteça no veículo, e consequentemente seu proprietário gaste muito com o reparo. Abaixo listamos algumas dicas que o ajudarão a se proteger de problemas maiores com seu veículo ou adiar uma possível manutenção corretiva.

Vale lembrar que essas dicas podem ser aproveitadas por qualquer motorista, seja ele novato ou não.

DICAS PARA EVITAR A MANUTENÇÃO CORRETIVA

Nível de água do radiador

A água tem um papel fundamental no bom funcionamento do veículo, sendo responsável pelo resfriamento direto do motor durante o seu funcionamento. A água é o principal elemento do sistema de arrefecimento, sem ela não é possível promover a refrigeração do motor.

Não existe um padrão de tempo para verificar o nível de água do radiador. Contudo, conferir semanalmente o nível de água parece ser um tempo razoável.

Como problemas decorrente pela falta de água no radiador, podemos citar: superaquecimento do motor, queima da junta da cabeçote, desalinhamento do cabeçote e até a fundição do motor (o motor pode “bater”, “fundir”).

A solução para os problemas acima pode ser bastante cara a depender da extensão do dano e do modelo do veículo, por esse motivo, sempre mantenha o nível de água do radiador nos níveis recomendados. Em praticamente todo reservatório de água do radiador há uma indicação mostrando qual o limite máximo e mínimo.

Carro na oficina mecânica
A manutenção preventiva tem como objetiva evitar que problemas maiores afetem o veículo, e consequentemente adiar possível uma ida à oficina mecânica.

Lubrificantes

Óleo do motor

Conferir regularmente o nível de óleo do motor também é outra atitude importante, e que também pode ser feita semanalmente.

O óleo que lubrifica as partes internas do motor tem a função de reduzir o atrito entre as partes metálicas do motor, a exemplo do eixo virabrequim e bielas, reduzindo assim seu desgaste e aumentando sua vida útil.

Manter o motor com um baixo nível de óleo lubrificante ou com o prazo de troca vencido expõe o motor ao risco de sofrer desgaste prematuro e excessivo em suas peças internas. Para evitar isso, sempre verifique o nível de óleo do motor, principalmente antes de viagens mais longas, e sempre faça a troca do óleo dentro do intervalo de tempo e quilometragem recomendados.

Óleo do câmbio

A troca do óleo da caixa de câmbio é feita depois de longos períodos, se comparado ao óleo do motor. Em condições normais, geralmente sua troca deve ser feita a cada cinco anos, mas o prazo exato varia conforme o veículo.

Quem estiver em dúvida sobre se é ou não o momento de trocar o óleo da caixa de marcha, ou de câmbio, é preciso consultar um mecânico.

Óleo de freio ou fluido de freio

O lubrificante utilizado no sistema de freio, que em alguns carros é compartilhado com o sistema de embreagem hidráulica, costuma ser trocado anualmente, mas o prazo tanto de tempo quanto de quilometragem também varia para cada modelo ou fabricante.

É muito importante verificar seu nível regularmente, pois sua baixa a determinados níveis pode ocasionar falha nas frenagens e aumentar o risco de acidentes. Níveis de fluido de freio muito baixos também podem ocasionar desgaste nas peças do sistema de freio, a exemplo do cilindro mestre, também chamada de bomba de freio.

Óleo hidráulico ou fluido hidráulico

O lubrificante utilizado na direção hidráulica é responsável por fazer o sistema de direção funcionar.   Durante o funcionamento do veículo, a bomba hidráulica impulsiona o fluido dentro do sistema e contribui para que o movimento da direção se torne mais leve e macio.

Se o nível do fluido hidráulico estiver muito baixo, podem ocorrer falhas na direção, bem como comprometimento de demais componentes, sobretudo a bomba hidráulica. Sendo assim, é importante verificar regularmente se o nível do fluido hidráulico está na faixa recomendada pelo fabricante do veículo.

Carga da bateria

Hoje em dia é comum as pessoas deixarem o carro na garagem e irem trabalhar de ônibus, bicicleta, metrô ou mesmo de carona com algum amigo.

Deixar o carro muito tempo parado pode fazer com que a bateria do mesmo descarregue, chegando ao ponto de nem mesmo conseguir dar a partida no veículo, em alguns casos.

Essa situação pode trazer danos irreversíveis à bateria, e ocasionar inúmeros contratempos, sobretudo em veículos com injeção eletrônica, como desprogramação do módulo central e outros ajustes dos sistemas eletrônicos.

Com essas dicas simples, porém valiosas, você estará garantindo o bom funcionamento do veículo por um bom tempo.