5 detalhes a observar antes de alugar uma casa

Publicado em 5 novembro, 2015 / Atualizado em 5 de novembro de 2015

Alguns detalhes podem passar despercebidos e causarem transtornos depois. Confira algumas dicas antes de assinar o contrato de locação

Dizem que uma das vantagens de morar de aluguel é poder escolher onde se residirá e a possibilidade de mudar de endereço a qualquer tempo caso a morada se mostre insatisfatória, seja pela distância de locais importantes, barulho de vizinhos, falta de segurança etc.

Antes de assinar o contrato de aluguel, é comum as pessoas verificarem tanto as características gerais do imóvel que será alugado quanto da rua ou condomínio onde o mesmo se encontra.

De maneira geral, é comum a verificação do arranjo físico do imóvel, ou seja, se os móveis caberão, se a quantidade de quartos é suficiente, se o tamanho da área de serviço é aceitável etc.

No entanto, existem pontos que podem dar dor de cabeça depois e que geralmente passam despercebidos antes da assinatura do contrato. São detalhes, podendo até ser considerados pequenos ou pouco importantes, mas que depois podem trazer contratempos ou até mesmo problemas.

O QUE CONFERIR NA NOVA CASA

1. Falta ou baixa pressão da água

Essa dica se aplica a casas, uma vez que em apartamentos inevitavelmente dependemos dos reservatórios.

Em algumas ruas ou bairros, independentemente da cidade ou do estado, podem ser frequentes a falta de água ou a queda na pressão da mesma, o que pode impossibilitar que a água chega até o tanque ou reservatório, que costuma ficar em cima da casa ou em outro local igualmente elevado.

Se o imóvel fica numa região onde a falta d’água ou queda na pressão é constante, é importante que ele possua pelo menos uma torneira ligada diretamente ao cano que vem do registro, contador ou hidrômetro, de preferência no mesmo nível ou o mais baixo possível em relação à rua.

Com isso, em caso de baixa pressão, e caso o reservatório esteja vazio ou com pouca água, será possível coletar água diretamente desta torneira, poupando a água já armazenada.

2. Quantidade de tomadas

Algumas construções parecem não terem sido planejadas. É comum encontrarmos imóveis com uma péssima estrutura elétrica, sobretudo com relação à quantidade de tomadas disponíveis para os moradores. Nessa situação, quem possui muitos aparelhos elétricos ou eletrônicos acaba recorrendo ao uso de adaptadores T, para pode ligar todos os aparelhos que necessita, o que pode acarretar riscos de segurança.

Por esse motivo, confira se a quantidade ou posicionamento das tomadas atende às suas necessidades e se isso pode ou não trazer problemas ou contratempos.

Chave de porta
Depois de assinar o contrato, geralmente há cobrança de multa por rescisão antecipada do contrato. Por isso, confira todos os detalhes do imóvel.

[related_posts]

3. Ocorrência de insetos

Lidar diariamente com moscas, mosquitos, muriçocas e outros insetos pode ser muito incômodo ou mesmo perigoso, principalmente para quem tem alergia à picada desses animais.

Se a presença de insetos for indesejável, como sempre é, procure saber se próximo ao imóvel existem depósitos de lixo, riachos ou lagos ou mesmo vegetação alta, pois esses locais costumam ser o habitat de vários tipos de insetos.

4. Barulho na vizinhança

A visita ao imóvel que se pretende alugar geralmente ocorre em horário comercial, no qual praticamente todo mundo está trabalhando e as crianças na escola. Nesse horário é possível que se tenha uma falsa certeza com relação à tranquilidade da rua ou bairro onde se localiza o imóvel.

Para evitar surpresas desagradáveis, visite novamente o imóvel, mesmo que somente passando pela sua frente, em horários diversos como de manhã cedo, à noite e sobretudo aos finais de semana. Vai que você descobre que seu vizinho gosta de ouvir som alto todos os dias depois do trabalho, ou que na garagem daquele outro funciona um baile funk todos os finais de semana, com certeza isso não irá lhe agradar caso deseje silêncio. Cachorros também costumam fazer barulho.

5. Riscos decorrentes de fenômenos naturais

Quase ninguém lembra de verificar se o imóvel corre o risco de ser invadido pela água em caso de enchentes ou chuvas fortes, ser atingido pela queda de uma árvore durante um temporal, deslizamento de uma encosta ou ser atingido de qualquer outra maneira negativa em decorrência de fenômenos naturais.

Sendo assim, antes bater o martelo e assinar o contrato, analise se fenômenos da natureza poderão oferecer algum risco a você e sua família caso venham a residir no imóvel pretendido.

Seguindo essas dicas você já poderá afastar alguns futuros problemas. Vale lembrar, claro, que cada caso é um caso, cada imóvel tem suas peculiaridades bem como cada pessoas tem suas prioridades, por isso muitos outros detalhes devem observados. Contudo, essas dicas poderão ser sempre levadas em consideração.