Trocar correia dentada na quilometragem recomendada

Publicado em 13 fevereiro, 2013 / Atualizado em 13 de agosto de 2013

Descubra qual a importância da correia dentada, como funciona e cuidados necessários

Os carros possuem peças com as mais variadas funções e variados materiais, o que faz com que cada uma delas exija cuidados específicos. Como exemplo podemos citar um amortecedor, uma peça feita de ferro e que, quando com problemas, ainda permite que o veículo continue em movimento.

Outra seria a correia dentada, peça feita com lonas flexíveis e borracha, que quando quebrada impossibilita que o veículo continue a andar, além de oferecer riscos a outras peças do veículo.

A correia dentada, ao contrário da correia do alternador, exige que o proprietário do veículo tenha um cuidado extra com o prazo de troca da mesma, não que a do alternador não exija tal cuidado, mas a diferença entre elas é que o prejuízo com a quebra de uma correia dentada é muito maior do que a da correia do alternador, pois sua quebra envolve geralmente causa outros problemas em peças relacionados à ela.

A função desta correia, também chamada de correia sincronizadora, correia sincronizada, correia da distribuição ou correia dentaria é sincronizar o movimento feito eixo do motor (eixo virabrequim ou girabrequim) com o eixo de comando de válvulas, que é o responsável por fazer com que as válvulas de admissão e escapamento abram e fechem no momento certo.

Com o rompimento da correia dentada, essa sincronia para de funcionar, impossibilitando que o motor continue a funcionar. Outro problema sério que pode acontecer junto com a quebra da correia é o empenamento das válvulas ou mesmo quebra dos pistões.

Motor com correia sincronizadora
O prazo para substituição da correia dentada deve ser respeitado para evitar problemas que podem ocorrer com seu rompimento.

Em alguns casos, geralmente a depender da montadora do veículo, é possível que após o rompimento da correia, uma ou mais válvulas fiquem paradas muito abaixo de onde deveria e acabem perfurando um ou mais pistões do motor, claro que isso só ocorre quando ainda há rotação no motor. Em casos mais graves o cabeçote pode sofrer avarias, necessitando que seja retificado ou substituído.

[related_posts]

Mesmo sendo uma peça de fundamental importância, a correia dentada não é cara, em geral costumam custar menos de cinquenta reais a depender do veículo. Por esse motivo e por ser muito importante para o funcionamento do carro, a correia dentada deve ser trocada rigorosamente de acordo com a recomendação do fabricante do veículo ou da correia.

Muitos mecânicos defendem a troca conjunta da correia e do rolamento tensor. Porém, há outros que defendem que o tensor só deve ser trocado quando apresenta folga, barulhos ou chiados. O ideal nesse caso é procurar um mecânico de confiança.

Ao contrário do que muitos pensam, nem todos os veículos possuem correia dentada. Alguns modelos, em vez de usá-las, possuem uma corrente de comando, semelhante às usadas por motos e bicicletas. A vantagem nesse sistema de transmissão é que uma corrente de comando dura muito mais do que uma correia dentada, geralmente quatro ou cinco vezes mais.

No dia a dia, os veículos que vemos circulando nas ruas e que são equipados com corrente de comando são: veículos da Ford equipados com motor Zetec Rocam, Endura e o CHT, chamado pela Volkswagen de motor AE.

Então fique esperto. Para evitar transtornos e prejuízos financeiros, mande sempre um mecânico verificar o estado da correia dentada e faça sua substituição no prazo de quilometragem recomendado.