Comprando carro usado: sinais de defeitos mecânicos

Publicado em 27 janeiro, 2016

Conheça possíveis defeitos que podem ser encontrados em veículos e se previna de prejuízos na compras de um seminovo

A manutenção de um veículo é algo que deve ser levado em consideração antes de fechar a compra do mesmo. Além de documentação, seguro e combustível, os compradores devem deixar uma parte do orçamento reservada para fazer os reparos e consertos que se possam fazer necessários no veículo.

Comprar um veículo seminovo pode ou não ser um bom negócio. É um bom negócio quando adquirimos um carro em bom estado, com a manutenção em dia. E pode ser um mau negócio quando adquirimos um veículo com problemas mecânicos e que mostra isso pouco tempo depois de comprado.

É muito importante conferir o estado do veículo com relação à manutenção, verificar se existe algum tipo de defeito mecânico que exigirá um alto gasto com manutenção corretiva num futuro próximo.

Infelizmente é comum proprietários de veículos ou mesmo corretoras e lojas revendedoras de veículos usados simplesmente maquiarem problemas mecânicos cujo reparo custa ou custará caro. Em muitos casos é solicitado a um mecânico que faça um reparo “meia boca”, que apenas adie a necessidade de um reparo mais completo e também mais caro.

Diante de tal possibilidade, é importante investigar em que estado se encontra a parte mecânica do veículo, para não ser surpreendido pouco tempo depois por um defeito que poderia ter sido detectado antes do fechamento do negócio.

Existem alguns sinais que podem revelar um defeito mecânico que pode custar caro para ser corrigido. Por esse motivo, antes de fechar a compra de um carro seminovo, é importante conferir de perto se alguns desses sinais podem ser identificados no veículo escolhido.

Carro na oficina
Antes de fechar a compra de um veículo seminovo é importante levá-lo a uma oficina mecânica de sua confiança. Se não levou antes de fechar negócio, leve o quanto antes, enquanto o período de garantia está vigente.

Sinais de possíveis defeitos

Nível de água do radiador baixando: esse é um sinal que pode indicar um defeito grave ou um problema simples e fácil de resolver. Se for um vazamento de água por um selo do bloco do motor, por exemplo, é simples e barato de resolver. Se for um problema no cabeçote do motor, em geral é um problema mais complexo e de reparo bem mais caro.

Nível do óleo do motor baixando: assim como na água pode indicar algo fácil de resolver ou um problema de conserto mais difícil e caro. Se for uma junta de carter com vazamento, a solução é simples e barata.

Se for problema nos pistões ou anéis de segmento, pode indicar um desgaste e consequente queima do óleo lubrificante junto com o combustível. Em geral esse é um defeito mais difícil e caro de resolver.

Carro “pulando”no calçamento: o conjunto amortecedor e mola serve para manter a estabilidade do veículo e absorver as irregularidade do solo. Quando o carro começa a “pular”, ou seja, fazer movimento de subida e descida da suspensão com grande amplitude, pode indicar que os amortecedores já não funcionam mais.

Pancadas na suspensão: se ao andarmos em calçamento ou em estradas com pequenas irregularidades ou buracos e sentimos pancadas, batidas ou tombos fortes na suspensão, isso é um forte indício de que as molas, geralmente helicoidais, já não funcionam bem e não sustentam mais o peso do veículo.

Outro possível motivo é o travamento ou trancamento dos amortecedores, que não está permitindo o movimento natural de subida e descida da suspensão.

Barulho ou estalos ao fazer curvas: se ao girar o volante para fazer uma curva, principalmente em curvas muito fechadas, ou até mesmo ao manobrar o carro, se ouvir estalos vindos da roda dianteira do veículo, é muito provável que a junta homocinética esteja com defeito e devem ser substituídas.

Ronco ou chiado ao pisar no freio: esse é o principal sinal de desgaste excessivo dos discos e pastilhas de freio. Por motivos de segurança, é fundamental que seja efetuada a troca desses componentes.

Ruídos, trepidações e tombos na dianteira: alguns sinais devem ser investigados de perto. Temos como exemplos os ruídos, trepidações e tombos advindos da frente do veículo. Diante de uma situação como essa não é fácil saber o que está causando esses sintomas, pode ser problemas na suspensão ou direção, principalmente. Nesses casos só uma investigação “in loco” para descobrir o problema.

Temperatura do motor subindo: se ao dar uma volta no veículo você perceber que a temperatura do motor está subindo além do normal, não feche negócio sem antes levar o carro a um mecânico de sua confiança. A temperatura muito alta pode ser causada por uma simples entrada de ar no sistema de arrefecimento ou até por um problema no cabeçote do motor.

Conclusão

Neste post você ficou conhecendo alguns possíveis problemas que podem afetar um veículo, mas existem diversos outros que só podem ser avaliados por um profissional especializado.

Portanto, antes de fechar a compra de um veículo seminovo é de fundamental importância levá-lo a uma oficina mecânica para que uma vistoria seja feita a fim de verificar se problemas graves existem ou estão prestes a surgir.

Se você já fechou a compra sem antes levar o veículo a uma oficina para fazer uma vistoria, leve-o o quanto antes, enquanto está vigente o prazo de garantia dado pela revendedora, que geralmente é de três meses.