Como evitar curto-circuito e incêndios em casa

Publicado em 11 março, 2013

Confira dicas para evitar curto-circuitos e incêndios na rede elétrica de residências

Uma prática bastante comum nos lares brasileiros é a de os próprios moradores fazerem reparos na infraestrutura das casas, principalmente nos sistemas de água e de eletricidade.

Em geral esses reparos ou manutenções são feitos quando surgem problemas ou quando há necessidade de expansão, como colocar uma nova lâmpada ou uma nova torneira, por exemplo.

A maioria dos curtos circuitos e incêndios ocorridos em residências são resultado de alterações ou adaptações feitas pelos próprios moradores, que em geral não são capacitados para realizar este tipo de tarefa, o que aumenta muito o risco de problemas ocorrem na fiação elétrica.

Apesar de geralmente parecer ser algo simples, alterar a instalação de uma residência ou qualquer outro tipo de construção sem ser habilitado, ou seja, sem ter conhecimento técnico sobre eletricidade, pode trazer sérios riscos de curto-circuito na rede elétrica, o que além de poder ocasionar a queima de aparelhos elétricos pode também causar incêndios, o que é ainda pior. Por mais fácil que possa parecer alterar ou estender uma instalação elétrica residencial , isso exige cuidados e planejamento, não bastando apenas emendar um fio.

Por esse motivo, é importante saber o que pode ou não ser feito na instalação elétrica da sua casa, para evitar transtornos como queima de aparelhos elétricos como geladeira, televisão e microondas, por exemplo, ou até coisas maiores, como incêndios.

[related_posts]

Como prevenir curto-circuito e incêndios

  1. A instalação elétrica da residência deve seguir as normas de segurança estabelecidas pela NBR-5410 da ABNT. Se o imóvel estiver sendo construído, deve fazer a instalação seguindo essa norma.
  2. Se o imóvel já estiver construído, um técnico deve fazer uma vistoria para verificar se a norma NBR-5410 está sendo seguida, ou se a rede apresenta algum problema.
  3. Ligue apenas um aparelho por tomada. Ligar vários aparelhos numa só tomada faz com que a corrente elétrica aumente, podendo sobrecarregar a tomada, o que pode resultar em incêndio.
  4. Não faça ligações de tomadas, disjuntores e outras adaptações na instalação sem ser capacitado para isso. Se for necessário aumentar o número de tomadas ou qualquer outra alteração, sempre contrate um técnico especializado.
  5. Fios descascados, amassados ou com corrosão na capa isolante devem ser substituídos imediatamente.
  6. Tomadas e disjuntores devem ficar longe de pias, torneiras e outros locais onde haja água. Se for inevitável ter energia perto de água, tenha cuidado para evitar que a água derrame sobre a tomada ou fiação.
  7. Desarmamento de disjuntores indica que a instalação está passando por sobrecarga. Neste caso um técnico deve verificar a fiação.
  8. Fusível queimando com frequência também indica sobrecarga. Também é necessário uma averiguação técnica.
  9. Se for ficar muito tempo fora de casa, desligue todos os aparelhos eletrônicos das tomadas.
  10. Ao perceber que a energia elétrica está sofrendo oscilação (indo e voltando), tire os aparelhos da tomada para evitar uma possível sobrecarga.

Essa foram dicas úteis para evitar a maioria dos problemas causados por curto-circuito e incêndios em instalações elétricas de residências. É necessário ter em mente que é muito melhor gastar dinheiro contratando um eletricista profissional do que expor sua família ao perigo dos incêndios, e também do risco de ter aparelhos eletrônicos queimados ou danificados.