Carro turbinado, o que é e como funciona a turbina

Publicado em 2 setembro, 2012 / Atualizado em 26 de julho de 2013

O turbocompressor proporciona mais potência aos motores, saiba mais sobre eles

Os veículos com sistema de alimentação convencional não possuem turbina, ou seja, são aspirados. A grande maioria dos veículos não é turbinada, mesmo sendo populares ou de luxo que, por serem veículos comerciais, além de desempenho, o consumo moderado de combustível deve ser uma de suas características.

Geralmente, são turbinados apenas, além de veículos a diesel, veículos de competição, versões esportivas de modelos comerciais ou veículos cuja turbina foi adaptada.

A instalação da turbina num veículo tem como objetivo aumentar a potência do motor, proporcionando rotações mais altas e consequentemente velocidades mais elevadas. Além disso, a turbina proporciona arrancadas mais fortes e respostas mais rápidas devido a capacidade de obter rotações mais altas em pouco tempo.

Quando falamos em turbina, é comum as pessoas imaginarem coisas mirabolantes, como se a turbina fosse algo perigoso, que usa explosivos ou produtos químicos perigosos. Na verdade, o funcionamento básico de uma turbina é algo tão simples que até uma criança pode entender.

Como funciona a turbina (também chamada de turbo, turboalimentador e turbocompressor)

A turbina possui uma estrutura semelhante a de um caracol, para possibilitar a circulação de ar até a câmara de combustão. Ela possui dos rotores, um é responsável por gerar energia mecânica para que o outro, o compressor, possa pressionar o ar para dentro dos cilindros.

Um deles é ligado ao coletor de escapamento, enquanto o outro é ligado ao coletor de admissão. O rotor que está ligado ao coletor de escape é impulsionado pelos gases do escapamento e com isso gira em alta velocidade. Como ele está ligado ao compressor através de um eixo, sua rotação faz com que o compressor também gire, possibilitando que o ar vindo do filtro de ar seja comprimido dentro do cilindro, melhorando a queima de combustível.

Em outras palavras, os gases do escapamento impulsionam, através de uma hélice, um rotor que, por estar interligado ao compressor, faz com que esse, através também de hélices, empurre o ar para o coletor de admissão, para que em seguida esse ar seja queimado junto com o combustível. É assim que funciona a compressão do ar nas turbinas.

Turbina
Vista lateral de uma turbina. Imagem: Freonr2 em wikipedia.org

Como a pressão dentro da câmera de combustão aumenta muito, a explosão gerada pela queima de combustível é muito mais intensa, resultando num grande aumento de energia. Tudo isso faz com que a potência do motor aumente bastante, assim como sua rotação. Os Turbocompressores podem chegar a 150.000 RPM, ou seja, cento e cinquenta mil rotações por minutos. Geralmente, um carro comum, sem turbo, tem como limite de giros 7000 RPM. A partir daí há risco de superaquecimento do motor.

Como um componente extra do sistema de turbocompressão, alguns modelos de carros podem ser equipados com um intercooler. Essa peça tem com função resfriar o ar que é comprimido dentro do motor. Sua utilização tem explicação bastante simples: com o ar mais frio, é possível obter uma compressão maior do que com o ar quente. E isso resulta em ainda mais potência. O intercooler serve para resfriar o ar e assim aumentar ainda mais a pressão dentro do cilindro do motor.

Existem modelos que já saem de fabrica equipados com turbocompressor. Nestes casos, o proprietário não precisa se preocupar com nenhum detalhe adicional, pois o motor do veículo já foi desenvolvido para aguentar a potência gerada pela turbina bem como altas rotações. Quando a turbina é colocada num carro que não foi projetado para possuir esse componente, diversos cuidados devem ser tomados para evitar problemas no motor.

Por esse motivo, quando colocar turbo no seu carro procure uma oficina especializada. E antes de mandar fazer o serviço, pesquise e entre em contato com proprietários de véiculos iguais ao seu igual ao seu para se informar sobre possíveis problemas ou incompatibilidades.