Atividade-fim e atividade-meio, diferenças

Publicado em 14 dezembro, 2016 / Atualizado em 14 de dezembro de 2016

Atividades-fim e atividades-meio são termos utilizados em administração para definir as atividades essenciais ao negócio e as acessórias

Os termos atividade-fim e atividade-meio geralmente são utilizados em administração de empresas e outras áreas relacionadas à gestão de negócios. Eles se referem às atividades desenvolvidas pelas empresas no seu cotidiano, em suas rotinas, na busca pela consecução de seus objetivos.

A subdivisão das atividades em atividades-fim e atividades-meio tem por objetivo não apenas contribuir para a definição das estratégias das empresas e sua organização interna, mas também para definir para quais áreas ou setores a empresa pode contratar serviços terceirizados.

Isso porque, no Brasil, as empresas só estão autorizadas a contratar mão-de-obra terceirizada para as atividades-meio do negócio, e jamais para as atividades-fim. Para as atividades-fim, as empresas são obrigadas a contratar funcionários, empregados ou colaboradores de acordo com regras da CLT – Consolidação das Leis do Trabalho.

Mas qual a diferença entre atividades-meio e atividades-fim?

Para acabar de vez com as dúvidas com relação à classificação de uma atividade como fim ou meio, confira abaixo alguns exemplos e explicações sobre o assunto.

Alvo com dardo

As atividades-fim podem ser entendidas com o foco da empresa, seu objeto.

Atividade-fim

As atividades-fim são aquelas que se confundem com os objetivos da empresa ou muitas vezes são os únicos meios para que a organização alcande tais objetivos. Em outras palavras, podemos dizer que as atividades-fim são aquilo que a empresa entrega a seus clientes, seja na forma de produtos ou prestação de serviços.

Exemplo 1: Uma construtora, tem como objetivo a construção de imóveis, sejam casas, prédios ou qualquer outro tipo de construção.

Neste caso, pedreiros, engenheiros, pintores, eletricistas e encanadores trabalham diretamente com o objeto do negócio, que é construção. Neste caso, eles exercem a atividade-fim, que é a de construir imóveis. Já secretarias, pessoal da limpeza e office-boy, por exemplo, exercem atividades-meio, pois não executam atividades relacionadas diretamente com o objeto do negócio. Elas são úteis e necessárias, mas não essenciais.

Atividades-meio

Muitas das atividades-meio podem ser facilmente identificadas em diversas empresas, mesmo que sejam de ramos completamente diferentes. Por exemplo: motoristas, telemarketing, cobrança, atendimento ao cliente etc., são atividades encontradas em muitas empresas, independente do seu ramo de atuação.

Essas atividades, na maioria das vezes, não são o objeto do negócio, ou seja, não são o objetivo principal da organização. São apenas atividades de apoio, necessárias por contribuir com o satisfatório andamento dos processos e rotinas administrativas do negócio.

As atividades-meio são necessárias, pois contribuem para o bom desempenho das rotinas administrativas da empresa, enquanto as atividades-fim são o próprio negócio, a razão de existir da empresa.