Ar condicionado faz mal à saúde?

Publicado em

Ar condicionado não faz mal à saúde, mas alguns cuidados devem ser tomados

Os aparelhos eletrodomésticos trazem muita praticidade e conforto para o nosso dia-a-dia, sendo alguns considerados indispensáveis e outros não tão necessários. Um dos aparelhos mais requisitados por quem vive em regiões muito quentes é o ar condicionado, ou condicionador de ar.

Há pessoas que praticamente não conseguem ficar num determinado ambiente, seja em casa, trabalho ou carro, caso não haja o tratamento da temperatura pelos equipamentos de condicionamento de ar. Mas é certo que em algumas cidades e regiões do Brasil o calor praticamente obriga os consumidores a comprar tais aparelhos

O conforto proporcionado pelo ar condicionado realmente é muito bom, sobretudo em dias quentes. No entanto, sob algumas circunstancias, o ar condicionado pode fazer mal à saúde. Na verdade não é o aparelho em si, mas sim o ambiente que foi refrigerado e a falta de manutenção do aparelho.

A umidade relativa do ar tende a cair bastante nos ambientes refrigerados,  por esse motivo, pessoas com problemas respiratórios como rinite e asma devem evitar ficar muito tempo em locais com ar condicionado. Porém, mesmo pessoas com boas condições de saúde, poderão sofrer incômodos como ressecamento e irritação do nariz e garganta e coriza, ocasionados pelo ressecamento das vias respiratórias.

Aparelhos de ar condicionado

O ar condicionado, seja ele do carro, da casa ou do escritório, possui um filtro de ar responsável por impedir que diversos tipos de poluentes e microorganismos adentrem no ambiente refrigerado.

Isso é importantíssimo para manter a qualidade do ar. Filtros muito velhos, ou seja, que já passaram da hora de serem trocados, favorecem o aparecimento e acúmulo de agentes biológicos (fungos, bactérias e ácaros) que podem trazer problemas de saúde, principalmente em pessoas alérgicas ou com problemas respiratórios.

Por esse motivo, é importante trocar regularmente o filtro do ar condicionado. Para isso, siga as instruções do fabricante do aparelho, e tenha em mente que cada caso é um caso, ou seja, o intervalo de troca do filtro vai depender da qualidade do ar que é filtrado. Em áreas com muita poluição, recomenda-se uma substituição mais freqüente, o contrário é recomendável em áreas com baixa poluição.

O ambiente que está sendo tratado deverá estar sempre limpo e livre de lixo orgânico, o que é interessante para evitar a propagação de fungos e outros micro-organismos. O mesmo ocorre com a ventilação. Em certos momentos do dia, se possível, abra por alguns instantes uma ou algumas janelas, para permitir a renovação do ar. Evite temperaturas muito baixas, de preferência mantenha a temperatura, no mínimo, em 21 graus.

Outra dica interessante é utilizar umidificadores de ar, a fim de evitar que o ar fique muito seco e comece a causar desconforto no nariz e garganta. Se você não possui um umidificador, pode colocar no ambiente uma bacia com água, ou uma toalha molhada. Com isso, a evaporação da água ajuda a manter o ar mais úmido a agradável.