Acelerador eletrônico e a cabo, diferenças e como funcionam

Publicado em 26 fevereiro, 2013 / Atualizado em 18 de maio de 2013

O acelerador eletrônico oferece mais conforto e precisão na aceleração do que no sistema a cabo

O setor automotivo vem cada vez mais utilizando sistemas eletrônicos para substituir outros sistemas até então mecânicos.

Uma das primeiras peças mecânicas a ser substituída por uma versão eletrônica foi a bomba de combustível. Na verdade, a bomba de combustível deixou de ser mecânica, acionada por um eixo, para se tornar elétrica, comandada por uma central eletrônica.

O acelerador, outro componente importante dos carros também passou por uma evolução. Até a algum tempo, praticamente todo veículo possuía um cabo de acelerador que tinha como função acionar a borboleta do corpo de injeção, possibilitando, dessa maneira, a passagem de combustível e regulação da aceleração.

No sistema de aceleração mecânico, um cabo de aço revestido com uma cobertura de plástico era ligado do pedal de acelerador à borboleta do corpo de injeção. Ao pisar no acelerador, o cabo acionava a borboleta, que por sua vez abria a passagem de combustível possibilitando que veículo acelere, aumentando a rotação do motor devido a maior quantidade de combustível injetado nos cilindros.

Como alternativa mais eficiente e confortável ao velho cabo de acelerador, a indústria automobilística desenvolveu o acelerador eletrônico, sem cabo, conhecido em inglês como Drive-by-wire.

[related_posts]

Como funciona o acelerador eletrônico

Em vez de cabo, o acelerador eletrônico utiliza um potenciômetro acoplado ao pedal de acelerador que envia a informação sobre a posição do pedal para a central eletrônica. Ao receber a informação, a central aciona um motor elétrico que abre ou fecha a borboleta de acordo com a posição do pedal.

Vantagens e desvantagens do acelerador eletrônico

Claro que uma atualização tende a trazer mais benefícios e corrigir deficiências de padrões anteriores, e não foi diferente com o acelerador eletrônico. No entanto, mesmo trazendo melhorias, a novidade trouxe consigo alguns pontos fracos. Confira abaixo alguns pontos negativos e positivos do acelerador a cabo e do acelerador eletrônico.

Acelerador eletrônico

Vantagens:

Controle preciso da aceleração
Ausência vibrações vindas do motor
Maior suavidade em movimentos bruscos do pedal
Resposta mais rápida do motor
Economia de combustível
Melhor controle da marcha lenta

Desvantagens

Manutenção mais cara e especializada
Em caso de defeito, é muito difícil fazer uma adaptação de peças de outro modelo

Acelerador a cabo

Vantagens:

Manutenção mais barata
Menor complexidade do sistema, facilitando o encontro de mão de obra
Facilidade de, em caso de quebra do cabo, adaptar um cabo de outro veículo

Desvantagens:

Menor controle da aceleração
Seu desempenho pode ser comprometido se o cabo estiver torcido ou sendo pressionado.
Ocorrência de trancos em caso de aceleração ou desaceleração rápida
Travamentos causados pela falta de lubrificação do cabo de aço dentro da capa do cabo

A principal vantagem do acelerador eletrônico é o fato de a aceleração do veículo não depender apenas da posição do pedal. Como ela é controlada pela central eletrônica, antes de determinar o nível de abertura da borboleta são analisadas outras informações sobre o funcionamento do veículo, como rotação do motor, velocidade, temperatura do motor etc. Nessas condições a central consegue estabelecer a aceleração ideal para se obter o máximo de desempenho do motor.