A vida útil de aparelhos pode ser programada pelo fabricante

Publicado em 6 maio, 2015

Prática chamada de Obsolescência programada visa a determinar o tempo de vida útil de produtos

Todos nós sabemos que praticamente tudo tem seu tempo de vida útil, que em determinado momento deixará de funcionar, apresentará problema ou não atenderá às necessidades de maneira satisfatória com antes.

A máquina de lavar pode parar de bater a roupa ou centrifugar, o forno micro-ondas parar de aquecer os alimentos, o refrigerador não refrigerar mais, e televisão perder a qualidade da imagem. Todos esses são exemplos de motivos que fazem com que os consumidores descartem seu atual aparelho e comprem outro novo.

Praticamente todo mundo acredita que o que aconteceu foi uma fatalidade ou mesmo o aparelho deixou de funcionar por estar muito velho. No entanto, algo que não passa pela cabeça de praticamente ninguém é que esse defeito pode ter sido planejado pelo fabricante.

Essa prática é chamada de obsolescência programada ou obsolescência planejada, e consiste no planejamento ou programação da vida útil do aparelho ou equipamento a ser fabricado.

Por motivos relacionados ao mercado consumidor, inovação tecnológica ou mesmo ganância, os fabricantes desenvolvem seus produtos calculando em quanto tempo o os mesmos  apresentarão falhas ou deixarão de funcionar por completo, obrigando o consumidor a adquirir um novo modelo.

Talvez esse seja o motivo de ouvirmos principalmente dos mais velhos que antigamente as coisas eram feitas para durar. Hoje em dia, por exemplo, é possível encontrarmos refrigeradores com trinta anos de uso funcionando perfeitamente. Mas será que os comprados hoje em dia duram tanto tempo?

Televisores obsoletos

Exemplos práticos

Muitos produtos hoje em dia não possuem conserto, ou se possuem o custo do reparo torna mais vantajoso a compra de um novo produto. Isso também pode ser visto como uma maneira de tornar os produtos obsoletos, e como consequência estimular a compra de um novo modelo, pois muitas vezes o produto não está tecnologicamente ou funcionalmente ultrapassado.

Como se proteger da prática

Infelizmente não há nada que o consumidor possa fazer, a não ser pesquisar sobre determinado produto ou marca antes de fazer uma compra, principalmente entre pessoas que já compraram o produto que você deseja adquirir.

Como a prática da obsolescência programada não é confirmada por ninguém, é óbvio, nunca saberemos se um determinado fabricante projeta seus produtos para pararem de funcionar após determinado período de tempo ou se ele tenta fazer um produto que dure o máximo de tempo possível.